Electricite de France (EDF)

Sobre Electricite de France (EDF)

A Électricité de France S.A. (FED; Electricidade de França) é uma empresa Francesa maioritariamente detida pelo Governo Francês.

A empresa tem um portefólio diversificado de capacidades de geração em toda a Europa, América do Sul, América do Norte, Ásia, Médio Oriente e África, com uma capacidade total superior a 120 GW.

A EDF foi o maior produtor de energia do mundo em 2009. Em 2011, gerou 22% de toda a eletricidade da UE', a maioria foi produzida pelas centrais nucleares da empresa'.

Geração de eletricidade por combustível:
64.3% – nuclear;
12.3% – fontes de energia renováveis (das quais 4,6% de hidroenergia);
8,6% – % gás natural;
14,5% – carvão;
0,3% – outros

A EDF'(França) opera reatores nucleares (em França) e está espalhada por 20 locais separados (centrais nucleares).
A empresa tem a sua sede em Paris (França) e o seu CEO
é Jean-Bernard Levy.

Ratings
A Fitch Ratings atribuiu à Électricité de France S.A.'s "A-" um rating de emissora a longo prazo (2016) com uma perspetiva estável.

S&P A Global Ratings atribuiu à Électricité de France S.A.'s "A-"  um rating de emissor a longo prazo (2017) com uma  perspetiva negativa.

Enquanto isso, a Moody'atribuiu à empresa um "A3" rating de emissor a longo prazo (2016) com uma perspetiva estável.

As ações da Électricité de France S.A.
Em 2018, as ações da'empresa cresceram em 32.44%. Entre 2015 e 2017, caíram 52,7%. No entanto, este declínio esteve totalmente confinado a 2015. Em 2016, o preço das suas ações registou um aumento de 7,6%. O valor mais alto de 2018 foi de 15,78 euros por ação, enquanto o preço da ação unitária mais baixo registado no mesmo ano foi de 10,02 euros.

Ganhos
Os resultados da empresa relativos a 2018 indicam receitas no montante de 69 mil milhões de euros (uma redução de 1% em 2017). No entanto, prevê-se que as receitas cresçam 5% em 2019, devendo atingir 72,19 mil milhões de euros. Em 2018, os ganhos por ação ascenderam a 0,42 euros, mas este valor poderá aumentar para 0,72 em 2019.