Skip to main content

Aviso de Risco: Os CFDs são instrumentos complexos e acarretam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 73,77% das contas dos investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFDs com este prestador. Deve ter em conta se compreende como funcionam os CFDs e se pode assumir o elevado risco de perder o seu dinheiro. Por favor, clique aqui para ler o nosso Aviso de Risco na íntegra.

73,77% das contas dos investidores a retalho perdem dinheiro quando negoceiam CFDs com este prestador.

main-currencies

Confusão no mercado de divisas entre os últimos aumentos nas taxas de juro do FED

Fri, 07/28/2023 - 15:17

Os últimos anos foram bastante duros para grande parte do mundo, e no centro de severa insegurança geopolítica e preços astronómicos dos combustíveis, a Europa foi sem dúvida a região mais afetada. E agora, após um começo desastroso em 2023, a economia europeia começa a exibir sintomas preocupantes de abrandamento na produção, comparativamente ao seu homólogo americano. Consequentemente, o euro e a libra esterlina encontram-se numa posição precária face ao dólar americano, considerando os resultados mais positivos na economia dos EUA, com um mercado laboral forte, um nível saudável de produção e um PMI robusto nos seus serviços. Embora o verão tenha oferecido tréguas ao Velho Continente, carente de combustível, o inverno chegará em breve e a insegurança no setor energético irá certamente reemergir, colocando novamente a economia europeia em apuros.

Viver na América

Em gritante contraste com a Europa, os EUA têm vindo a melhorar gradualmente nos últimos 12-18 meses, como resultado da combinação de políticas da Reserva Federal e um aumento do comércio global de recursos energéticos, que ajudou a maior economia do mundo a emergir do caos de 2022, cortando a inflação de forma estável para níveis mais aceitáveis, aumentando em simultâneo o número de trabalhos não agrícolas. Existe esperança para que a recuperação continue lentamente, mas de forma estável, e que seja possível empurrar a inflação para os seus níveis alvo.

Como referido pelos analistas do HSBC, os dados referentes aos EUA suportam em grande medida este cenário de "conto de fadas", o que significa que o lento decréscimo do USD poderia prolongar-se, especialmente se observarmos dados menos desanimadores nas restantes economias mundiais. Pode parecer completamente incoerente, mas um dólar mais fraco é exatamente o que a economia dos EUA necessita neste momento. Regressando aos dias da paridade do EUR/USD no terceiro trimestre de 2022, as importações dos EUA tornaram-se estupidamente dispendiosas para a Europa. No entanto, a níveis mais razoáveis de 1,10 ou acima, a importação de gás e outros recursos dos EUA torna-se bastante mais atrativa. No entanto, após a última subida de 0,25% nas taxas de juro, imposta pela Reserva Federal, a probabilidade de observarmos um aumento até aos 1,15 torna-se cada vez mais distante. Após a decisão da entidade reguladora dos EUA, o greenback ganhou força perante a maioria das principais moedas estrangeiras.

O que dizer do euro?

Todos estamos a par dos vários problemas existentes na Europa. Para além da instabilidade geopolítica e uma persistente crise energética, o crescimento do emprego e da produção também sucumbiu a tendências negativas de longo prazo. Na mesma proporção em que o dólar continua a ganhar terreno, parece que o euro não abandona a sua trajetória descendente. Não foi há muito tempo — em novembro de 2022, na verdade — que o EUR/USD alcançou a paridade. A possibilidade de recuarmos na mesma direção aumenta a cada dia, sendo algo indesejável de momento, tanto para a UE como para os EUA, considerando que o Velho Continente pode ser obrigado a importar gás natural americano.

Após atingir um ponto alto local de 1,12 em meados de julho, o EUR/USD voltou a cair para os 1,10. Infelizmente, o BCE continua a ser pressionado para reduzir as suas taxas de juro e estimular a atividade económica. Mas isso simplesmente não é possível sem afundar a sua moeda única. Por essa razão, vários analistas preveem um período longo de enfraquecimento para o euro. Numa declaração recente, o Danske Bank afirmou que a força relativa da economia dos EUA irá pesar sobre o par EUR/USD nos próximos meses, prevendo uma cotação de 1,06/1,03 nos próximos 6-12 meses. Adicionalmente, não se trata apenas de uma tendência geral, mas sim de um problema especificamente centrado no euro. Durante o mesmo período em que o euro perdeu 1,8% contra o dólar, a libra esterlina apresentou uma valorização de 2,5%.

O Japão contraria a tendência

Como já mencionámos, o dólar americano conseguiu fortalecer-se contra várias das moedas principais do mundo após a Reserva Federal ter anunciado a sua antecipada subida nas taxas de juro, mas o Japão conseguiu contrariar notavelmente a tendência. Tudo se resume aos comentários pós-conferência do Banco do Japão (BoJ), nos quais declarou a permissão de "maior flexibilidade" nos seus rendimentos de obrigações do estado a 10 anos.

Isto provocou imediatamente uma subida de 0,575% nas obrigações a 10 anos, pela primeira vez desde 2014, e uma queda moderada no USD/JPY para 139,54. Pode não parecer muito para a maioria dos ocidentais, mas no atual contexto negro que envolve as taxas de juro, é uma notícia bastante importante. Enquanto o BoJ continua a combater para alcançar uma inflação de 2%, podemos antecipar a estabilidade contínua do yen. É verdade que as taxas de juro extremamente baixas no Japão podem tornar o yen vulnerável à venda, sendo preocupante, mas nada de novo, e — como vimos esta semana — não impediu o yen de ganhar algum terreno sobre a principal concorrência. Não podemos esquecer que o yen também é um dos ativos de refúgio mais procurados e, durante este período de incerteza global, isso poderá certamente despertar interesse pela moeda asiática.

Negocie CFDs de Forex com a Libertex

A Libertex é uma corretora de CFDs multipremiada que lhe permite negociar e investir numa vasta gama de classes de ativos, desde ações, commodities e criptomoedas, a índices, opções e Forex. A Libertex oferece posições longas e curtas sobre uma variedade de CFDs. Com a Libertex, pode negociar CFDs sobre os pares de moedas EUR/USD, EUR/GBP, GBP/USD e USD/JPY, portanto, conseguirá certamente encontrar a opção mais adequada. Para obter mais informações ou criar a sua própria conta, visite a www.libertex.com hoje!

Alerta de Risco: Os CFDs são instrumentos complexos e acarretam um elevado risco de perda de dinheiro rápida, devido à alavancagem. 77,77% das contas de investidores não profissionais perde dinheiro ao negociar CFDs com esta corretora. Spreads baixos aplicáveis. Verifique os nossos spreads na plataforma. Deve ter em conta se entende como funcionam os CFDs e se pode dar-se ao luxo de correr o alto risco de perder o seu dinheiro.