Skip to main content

Aviso de Risco: Os CFDs são instrumentos complexos e acarretam um elevado risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 73,77% das contas dos investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFDs com este prestador. Deve ter em conta se compreende como funcionam os CFDs e se pode assumir o elevado risco de perder o seu dinheiro. Por favor, clique aqui para ler o nosso Aviso de Risco na íntegra.

73,77% das contas dos investidores a retalho perdem dinheiro quando negoceiam CFDs com este prestador.

inflation

Inflação na Europa: o que significa para os traders?

Wed, 06/29/2022 - 16:41

O Reino Unido e a Zona Euro continuam a sofrer com a inflação no contexto da subida dos preços dos produtos alimentares, e da crise energética exacerbada pela guerra da Rússia na Ucrânia. Com base no índice de preços ao consumidor (IPC), a inflação nos 19 países que utilizam o Euro atingiu um novo recorde de 8,1% em Maio, que era 7,4% em Abril. No Reino Unido, a inflação atingiu uma nova alta de 40 anos, com 9,1% em Maio, apesar do Banco de Inglaterra ter aumentado as taxas de juro pela quinta vez desde Dezembro.

Estas taxas coincidem com as dos EUA e são os níveis mais elevados que alguns países têm visto desde a crise petrolífera da década de 1970. Os preços de tudo, de alimentos a serviços públicos, estão a pressionar os consumidores que mal começaram a emergir das dificuldades financeiras da pandemia. Em resposta, os bancos centrais de toda a Europa aumentaram as taxas de juro e os custos do endividamento, e isto teve um efeito de ondulação nos mercados, à medida que a inflação empurra tanto os lucros das empresas como as poupanças dos consumidores.

Numa declaração, o Banco Central do Reino Unido previu que esta tendência iria provavelmente continuar, chegando possivelmente a atingir os 11% em Outubro. Numa reunião de emergência, o Banco Central Europeu concordou em limitar os custos do empréstimo no Sul da Zona Euro, a fim de preparar-se para aumentos das taxas de juro em Julho e Setembro. Os bancos centrais fizeram da baixa da inflação uma principal prioridade no que diz respeito à política monetária, o que, infelizmente, para os investidores no mercado, pode prejudicar a estabilidade financeira e o crescimento.

Haverá uma recessão?

Aumentar as taxas de juro para abrandar a economia e travar a inflação poderá representar um risco substancial. Os empréstimos tornam-se mais caros, as empresas tornam-se avessas ao risco e a economia afunda, geralmente com impacto negativo no mercado de ações e até nos consumidores que os bancos centrais visam proteger, porque também têm de pagar taxas de juro mais elevadas sobre a dívida dos cartões de crédito e sobre as hipotecas. Além disso, o custo mais elevado do negócio poderá desencadear uma queda dos mercados bolsistas e uma recessão a acompanhar.

Efeito no mercado de ações

À medida que as taxas de inflação revelam a luta real da crise do custo de vida, a confiança dos investidores em relação ao crescimento económico diminui. O rápido aumento dos preços dos produtos alimentares, evidenciado no índice de preços ao consumidor no Reino Unido esta semana, parece ter atingido o FTSE 100 do Reino Unido, que caiu 1,3%.

O mercado bolsista Europeu também foi atingido esta semana, o que cria receio de um abrandamento da economia mundial. O STOXX 600 pan-Europeu caiu 1,5% para o seu ponto mais baixo desde Fevereiro de 2021, e as ações do petróleo e do gás subiram 2,9% na sequência de uma queda dos preços do crude, que, por sua vez, foi impulsionada pelas tentativas do Presidente dos EUA, Joe Biden, de travar o aumento dos custos dos combustíveis.

Negociar em época de inflação

Qualquer pessoa que se envolva no mercado a longo prazo, seja para negociação ou investimento, tem de estar preparada para dar passos em termos de recessão económica e de retoma. É por isso que a Libertex foi criada para oferecer oportunidades potenciais tanto em mercados crescentes como em queda. A informação é fundamental, já que o trader deve estar atento não só aos preços e aos gráficos, mas também aos eventos geopolíticos e às propostas de política monetária em todo o mundo.

O short-selling, ou a aposta de que o preço de uma ação diminuirá, é uma forma potencial de lucrar mesmo em altura de declínio do mercado. Os CFDs (contratos para a diferença) oferecidos pela Libertex permitem negociar as diferenças de preço previstas de um ativo, seja para subir ou descer. Além disso, a diversificação, seja através de índices ou simplesmente da expansão do leque de ativos, pode reduzir a exposição ao risco. Por último, também podemos analisar os tipos de ações que historicamente superaram o mercado durante tempos de inflação, tais como metais preciosos, agricultura, energia e matérias-primas e empresas de elevado valor. No entanto, a negociação CFD também acarreta o risco de perda e só deve ser feita após uma pesquisa própria.

Seja qual for a técnica escolhida, a Libertex oferece tudo o que precisa para se envolver no mercado nos seus termos, com análises detalhadas disponíveis na nossa aplicação ou na plataforma web, juntamente com comissões baixas nas suas transações. Com mais de 250 ativos negociáveis, incluindo CFDs sobre ações, forex, criptomoedas e matérias-primas, a Libertex permite negociar um leque variado de ativos subjacentes de acordo com as condições do mercado e respetivas alterações. Ainda não é cliente da Libertex? Registe-se em poucos segundos e teste uma conta demo para aprender a negociar!

 

Alerta de Risco: Os CFDs são instrumentos complexos e acarretam um elevado risco de perda de dinheiro rápida devido à alavancagem. 70,8% das contas de investidores retalhistas perdem o seu dinheiro ao operar CFDs com este fornecedor. Spreads baixos aplicáveis. Verifique os nossos spreads na plataforma. Disponível para clientes de retalho na Plataforma de Negociação Libertex. Deve considerar se entende ou não como é que funcionam os CFDs e se pode ou não sujeitar-se a correr o elevado risco de perder o seu dinheiro.