Alternativas ao Bitcoin: Quais São as Melhores Altcoins?

29 Dez 2018

Alternativas ao Bitcoin: Quais São as Melhores Altcoins?

Mesmo hoje, com mais de 1.600 moedas digitais diferentes, entre as quais os investidores podem escolher, o Bitcoin ainda é responsável por cerca de 39% da capitalização total de mercado das criptomoedas com cerca de $283B (de acordo com a coinmarketcap.com). Em muitos aspectos, o Bitcoin dominou o mercado da criptomoeda que está por detrás do mesmo. Durante anos, até Março de 2017, o Bitcoin abrangia entre 75% e 95% do montante total do mercado da moeda virtual.

A escassez do Bitcoin (devido ao seu limite de 21 milhões de moedas) também tem desempenhado um papel no reforço da sua valorização superior a de todas as outras moedas virtuais. Os investidores têm desfrutado das vantagens do Bitcoin no mercado (o trading começou em Março de 2010), bem como de suas inúmeras parcerias com várias plataformas comerciais.

Mas o que é que acontece se o Bitcoin já não for a melhor de todas as moedas virtuais? Por exemplo, a sua rede de blockchain tem sido abatida pela incapacidade da comunidade chegar a um consenso sobre que actualizações devem ser implementadas. O resultado foi a validação da transacção e tempos de liquidação significativamente mais lentos do que os dos seus pares.

 O conceito de blockchain agora tem sido replicado e está a ser usado para conduzir centenas de altcoins diferentes que podem ser compradas e vendidas nas bolsas digitais. O Bitcoin não é a única moeda digital e não é a única maneira de investir. Na verdade, a tecnologia por detrás do Bitcoin sempre pretendeu ser de fonte aberta.

Isso cria uma série de novas oportunidades. Pode não ter tirado vantagem da subida repentina do preço do Bitcoin, mas existem outras criptomoedas que poderão estar prestes a chegar ao topo.

Segue uma lista de algumas das altcoins mais famosas. As experiências de blockchain que usam a venda de tokens para financiar o seu projecto e alimentar a rede são muitas.

Este artigo destina-se a corresponder a uma visão geral. Deverá, definitivamente, pesquisar mais, se pretender comprar criptomoedas. Valerá também a pena notar que comprar algumas das moedas virtuais aqui mencionadas não é propriamente fácil. Em muitos casos, provavelmente, precisa de comprar Bitcoin e Ethereum primeiro. Tal como com todos os investimentos, mas especialmente com os do mundo cripto, evite investir dinheiro com cuja perda você possa não sentir-se confortável, dada a volatilidade do mercado.

Ethereum

O Ethereum é considerado por quase todo mundo como a segunda criptomoeda mais valiosa, ao longo de quase um ano. O mesmo poderia muito bem ser considerado como a criptomoeda mais importante no mundo, graças ao uso da sua tecnologia blockchain. Blockchain é o registo digital, distribuído e descentralizado, responsável pelo registo de transacções, de forma transparente e imutável.

Existem dois factores que permitem, verdadeiramente, que o Ethereum se destaque. Primeiro, a sua tecnologia blockchain permite usos monetários e não monetários, ao passo que a blockchain e o token do Bitcoin terá de ser usado apenas como um meio de transaccionar bens e serviços. Os bancos poderão usar a blockchain Ethereum, para agilizar a validação e liquidação de transacções, com a mesma facilidade com que os retalhistas poderão usar a blockchain Ethereum, para monitorizar bens que se movem, através de uma cadeia de oferta, em tempo real. Apesar de que nem todas as indústrias e sectores, necessariamente, virem a beneficiar da blockchain, a rede subjacente ao Ethereum oferece versatilidade suficiente para atrair atenção. De facto, a Enterprise Ethereum Alliance, a maior iniciativa da blockchain de fonte aberta, tem agora mais de 400 organizações fortes.

Segundo, a incorporação de contratos inteligentes pelo Ethereum é crucial. Os contratos inteligentes são protocolos integrados numa rede blockchain que actuam como orientações para execução. Digamos que uma empresa quer comprar mais produtos quando as suas vendas alcançarem um certo nível; os contratos inteligentes podem fazê-lo, ao executar a ordem. Os mesmos ajudam a facilitar, verificar e executar a negociação de um contrato que, neste caso, seriam os termos legalmente vinculativos que as partes, que podem ser pessoas ou empresas, acordaram.

Os contratos inteligentes e a utilidade da blockchain do Ethereum oferecem um argumento forte para superar o Bitcoin, nalgum momento no futuro.

Litecoin

A maioria das moedas virtuais tem algo a ver com a sua tecnologia blockchain subjacente. No entanto, o Litecoin visa superar o Bitcoin no seu próprio jogo como um meio de câmbio.

De acordo com os dados de transacção diária da BitInfoCharts.com, o Bitcoin ficou preso entre 150,000 e 300.000 transacções, por dia, desde o início de 2016. Entretanto, o Litecoin deixou de lidar com números abaixo das 10.000 transacções por dia, em média, há um ano atrás, para números entre 25.000 e 35.000 transacções por dia, nos últimos meses, com um tempo médio de processamento de bloco de apenas 2 minutos e 30 segundos. (Um bloco é um termo que descreve um grupo de transacções validadas como correctas). Por comparação, a rede Bitcoin realiza a mesma tarefa em 10 minutos. Litecoin oferece uma validação e tempos de resolução significativamente mais rápidos do que os da concorrência. Litecoin pretende ser parceiro do maior número de traders possível e fez um bom trabalho para reduzir a lacuna por detrás do Bitcoin, em termos de total de transacções diárias.

Mas Litecoin também não é perfeito. apesar do seu fundador, Charlie Lee, estar a trabalhar a tempo inteiro para promover o desenvolvimento de Litecoin e facilitar o registo de novos traders. Infelizmente, ele enfrentou alguns problemas ao fazê-lo. Por exemplo, Lee promoveu o desenvolvimento e esperou lançar Litepay, uma plataforma de pagamento concebida especificamente para suportar o Litecoin, apesar de desenvolvido independentemente do Litecoin. Infelizmente, LitePay nunca viveu para a sua promoção. De facto, ele nunca foi lançado. Consequentemente, O CEO de LitePay, Kenneth Asare informou Litecoin acerca da sua intenção para parar de trabalhar na plataforma e vender a empresa.

No entanto, mesmo com esses retrocessos, poucas ou nenhumas criptomoedas demonstraram capacidade de processar transacções, mais rapidamente do que Litecoin.

Ripple

Ripple, também conhecido como XRP, é o último rival do Bitcoin que desfrutou de sucesso após um aumento em termos de valor, no final de 2017, tornando-se na terceira moeda mais valiosa pela capitalização de mercado. Ao contrário do Bitcoin altamente descentralizado, o Ripple está ligado a instituições financeiras. Foi lançado em 2012 para legitimar os bancos a fazerem transferências monetárias mundiais. É mais difícil obter do que outras criptomoedas, já que para obtê-lo terá de pagar com Bitcoin ou Ethereum.

Monero

Monero é outra criptomoeda alternativa que tem a oportunidade de destronar o Bitcoin como o token virtual mais importante do mundo. A diferença substancial é que Monero se foca na privacidade.

Monero fala aos libertários que desejem evitar as redes bancárias tradicionais, bem como às pessoas que simplesmente não pretendam permanecer sob o radar. Esta atracção poderia muito bem ser suficiente para aumentar a sua capitalização de mercado a longo prazo.

Uma criptomoeda de privacidade é um token virtual que reforça completamente a expectativa do anonimato da transacção. De facto, a maior parte das redes Blockchain não são tão privadas como se possa pensar. A análise de Blockchain poderá, muitas vezes, revelar o remetente e o beneficiário dos fundos. Com as moedas de privacidade como Monero, a protecção está estabelecida para ocultar o remetente e o beneficiário dos fundos, bem como para mascarar o montante enviado. Com respeito especificamente a Monero, isto é feito com assinaturas ring. Nunca será conhecido quem foi o verdadeiro remetente e o único a receber o alerta é o beneficiário dos fundos.

Bitcoin Cash

Esta alternativa não está muito longe do Bitcoin. Quando o valor de mercado do Bitcoin disparou no ano passado, toda a gente queria e começou a investir ao mesmo tempo. Isto criou um atraso nas transacções porque os mineiros não conseguiam acrescentar blocos suficientes atempadamente. O Bitcoin Cash foi separado da moeda original em Agosto de 2017, para resolver o problema. Conhecido como hard fork, o Bitcoin Cash funciona da mesma forma que o Bitcoin, excepto quanto ao facto de os seus blocos terem aumentado de 1MB para 2MB, para ajudar a acelerar as transacções e manter as baixas taxas. No entanto, desde que o Bitcoin caiu, o preço do Bitcoin Cash seguiu a mesma tendência.

Stellar

Outra criptomoeda que teve oportunidade de substituir o Bitcoin foi o Stellar que construiu nome tanto quando à sua blockchain como quanto à sua moeda, Lumens.

A blockchain de Stellar é venerada por dois aspectos. Primeiro, é verdadeiramente rápida. A maior parte das transacções poderão ser validadas e resolvidas numa questão de dois a cinco segundos. O mesmo pode parecer impressionante como transacção em tempo real, mas é consideravelmente mais rápida do que os cinco dias úteis que os pagamentos poderão levar nas redes bancárias tradicionais. Segundo, tal como o Ethereum, Stellar incorpora o uso de contratos inteligentes, que permitem que as empresas personalizem, legalmente, contratos vinculativos para satisfazer as suas necessidades empresariais.

Stellar especificou algumas associações que merecem atenção. Actualmente, a moeda Lumens está a ser usada no projecto blockchain IBM, nos doze maiores bancos do Sul do Pacífico, para expedir o acerto de contas. Antes de esta parceria ter sido anunciada, Stellar e o Banco da Índia UCICI trabalharam juntos para criar soluções blockchain, para aumentar as velocidades de processamento das transacções nesse país. Considerando que a população da Índia não dispõe da banca mais eficiente, a blockchain poderia desempenhar um papel especialmente de alteração nas economias dos mercados emergentes como essa.

Apesar de Stellar ainda não ter demonstrado a sua capacidade de crescimento, o seu crescente grupo de associações e a sua rede blockchain com processamento relativamente rápido não deveria preocupar os investidores do Bitcoin.

VeChain Thor

Se nós tínhamos de focar-nos estritamente nas aplicações blockchain que não fossem moedas, VeChain Thor poderia constituir a alternativa mais provável para eliminar o Bitcoin, como a moeda digital mais valiosa do mundo.

VeChain Thor é uma empresa blockchain como serviço que se foca sobretudo na logística da cadeia de fornecimento. Para além dos chips inteligentes desenvolvidos, VeChain Thor usa essencialmente a blockchain e a Internet das Coisas para acompanhar produtos em tempo real, manter os produtos contrafeitos fora das cadeias de fornecimento e permitir que os retalhistas e os grossistas dêem uma olhadela à forma como os produtos são feitos em vários testes de controlo de qualidade.

O que coloca VeChain Thor no mapa são as suas recentes associações. Primeiro, o mesmo tem parceria com o serviço de seguro mundial, DNV GL, para permitir que os retalhistas acompanhem produtos em tempo real. Mas o grande destaque foi o anúncio, no final de Fevereiro, que a gigante dos automóveis, BMW, também iria juntar-se. Em particular, VeChain Thor e a sua blockchain inalterável ajudarão a BMW a acompanhar as cadeias de fornecimento das partes dos seus carros.

Além disso, VeChain Thor também foi a primeira moeda digital a aprovar o Plano de Recuperação do Desastre da Criptomoeda (CDRP). O CDRP actua como um teste de stress para o mercado que apresenta ameaças sérias e prováveis para os titulares. Determinou-se que as respostas de VeChain Thor a essas ameaças eram suficientes para proteger os activos dos titulares de tokens.

Dinheiro Digital (DASH)

O Dash teve um 2017 positivo, tal como o resto das altcoins mais importantes, indo de $10 por token a um máximo de $1,200 no final do ano. O mesmo foi estabelecido desde aí, mas ainda representa um grande aumento nos últimos 12 meses e coloca-o directamente no top 20 das criptomoedas pela market cap.

Originalmente chamado de Xcoin e depois de Darkcoin, o Dash existiu mais do que a maioria, oficialmente lançado em 2014. O mesmo ganhou rapidamente popularidade no início do seu ciclo de vida e manteve muita da mesma desde então, graças à sua defesa da privacidade do titular, através da função PrivateSend. PrivateSend age efectivamente como um seguro oficial, tornando-o possível que as transacções Dash se tornassem ainda mais ofuscadas e, consequentemente, oferecendo um nível adicional de privacidade aos seus titulares.

Conclusão

Apesar de estarem a acontecer coisas novas e emocionantes no espaço da criptomoeda, quase todas as semanas, ainda não existe garantia de que essas moedas virtuais, ou até o Bitcoin, tenham tudo aquilo de que precisam para sobreviverem e prosperarem a longo prazo. A regulação fragmentada que varia de acordo com o país, bem como o facto de os investidores não terem uma participação verdadeiramente importante num activo, ou seja, a blockchain subjacente, fazendo da compra das criptomoedas uma grande aposta.

Conforme mencionado acima, a compra e venda directa de criptomoedas no mercado não é a única nem sempre é a melhor forma de investir neste mercado. Nós sugerimos que se familiarize com os CFD (contratos para a diferença) o trading que apresenta uma série de vantagens (tal como a abertura de posições longas e curtas) que sejam especialmente relevantes para um mercado como é o das criptomoedas. Aquando do trading com CFD's, você ganha tanto quando o preço aumenta como quando cai, você não precisa de comprar um activo pelo seu valor total e, como tal, é possível realizar transacções lucrativas sem ter muito dinheiro na mão.

A Libertex oferece-lhe um teste do trading CFD agora, abrindo uma conta demo gratuita. Poderá praticar o quão desejar, sem correr qualquer risco. Também recomendamos que leia as nossas lições gratuitas.

Para trás